terça-feira, 31 de maio de 2011

Flutua

Flutua,
Como se de uma pena possuísses a leveza.
Sente a brisa que te transporta por esse azul celeste.
Inspira, inunda o teu interior de vitalidade.
Sê o mesmo que à tua volta se encontra.
Sê a vida que pulsa em todas as coisas.

Age.
Liberta-te dos condicionamentos
Que te prendem a vivências estéreis.
Irradia o que de melhor te caracteriza
E que guardas no teu íntimo,
Com o intuito da expansão desejada,
Mas que temes nunca revelar.
Por medo, vergonha, inércia.

domingo, 29 de maio de 2011

Ancestralidade em ti


A tua grandiosidade conforta-me,
Os teus braços acolhem as minhas preocupações,
O verde das tuas folhas colora a esperança.
Mesmo na escuridão da noite o teu abraço é luminoso,
A tua sabedoria ancestral conselheira.

Acenas-me ao sabor da brisa quente.
Sorrio e inspiro a tua volátil seiva,
trazida pelo perfume que libertas.

A tua elegância é o exemplo
Da perfeição de anos de evolução
e sabedoria adquirida nas tuas nervuras.


Fotografia do autor.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Partículas gémeas


Há no universo partículas gémeas,
que desde o princípio dos tempos
circulam pela imensidão do espaço.
A tempos regulares encontram-se
e a harmonia acontece,
a vida cumpre o seu propósito.

Círculo de energia

É noite, um grupo de jovens junta-se à beira-mar,
Chegam em silêncio,
Sorriem discretamente e cada um toma o se lugar,
Sentando-se em círculo,
Como que combinados previamente.
Fazem algumas respirações profundas
E olham as estrelas do céu,
Enquanto ouvem o som do mar bater nas areias.
A cada inspiração captam a energia universal,
transportada pela maresia que os envolve.
Percutindo as mãos vocalizam sonoridades ancestrais.
Alguns, de olhos fechados sorriem abertamente,
como que se algo maior os elevasse.
Dão as mãos formando uma corrente de energia
E mentalizam o sucesso de cada um,
a alegria que os une, a força que os move
A sensibilidade que os caracteriza,
A amizade que os faz ser quem são.
Por fim, de olhos abertos e luminosos
Abraçam os seres que os ladeiam.
Um abraço apertado, que vai para além do físico.
Sussurram algumas palavra de carinho.
A brisa da noite continua a envolvê-los
Convida-os a um mergulho.
Levanto-me trazendo um punhado de areia fresca,
partículas desde universo do qual faço parte.
Ao dirigir-me para os braços do mar,
vou sentido os grãos que agora deixo cair por entre os dedos.
E agradeço a vida, congratulo a partilha do amor.

Escrito ao som de Bon Iver, e também pode ser lido com essa especial envolvência.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Imensidão


No mundo dos sonhos
A imensidão invade o meu lar.
O contraste das cores e formas
Moldam o cenário imaginário.
O granulado do toque
Massaja as paredes do meu ser.
As portas não mais se fecham,
Para sempre te deixar entrar.

Fotogarfia de Marsel von Oosten, Squiver -National Geographic

Brinde da amizade

Amigo,

flui por ti a vida.
Essa luminosidade que te banha a pela
Desponta o sorriso na tua face.
O brilho dos teus olhos
São o complemento à tua fisionomia.

A tua energia é confortável.
A tua presença um prazer.
O teu abraço sincero.

A vida sorri,
Àqueles que podem contar
com o brinde da amizade.

sábado, 21 de maio de 2011

Abraço de mar

É tarde, sigo em direcção a casa,
Mas o rumo tomado é outro.
Não me dirijo ao lar,
Sigo para o mar aqui tão perto.
Na noite,
De frente para este oceano,
Que não enxergo, mas que sinto.
E nos seus braços de escuridão me envolvo,
Me aconchego.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Alegria que brota

E aquela alegria que brota do mais profundo do teu ser, sem motivo aparente, mas que te faz sorrir de forma tão expressiva que só por esse facto nascem sorrisos à tua volta, contagiados por essa magnificência.
E que de coração nas mãos e brilho no olhar te entregas à vida construindo mundos de sorrisos, pelo simples facto de hoje o sol continuar a brilhar e tu cá estares para receber a sua luminosidade.

terça-feira, 17 de maio de 2011

terça-feira, 3 de maio de 2011

Discorrer da pena

A escrita como companhia pode desempenhar um papel importante na vida do ser humano. Através dela chega-se a todo o lado e os sonhos mais incríveis são realizáveis ao discorrer da pena. Dando-se asas à imaginação os cenários surgem e do negro da tinta as cores tomam forma.

A possibilidade da expansão sem limites, do transbordar do que vai na alma do escritor para a folha em branco, conferindo-lhe vida, forma, e fazendo desse momento um acto de partilha.

Solidão?! Dê-me uma esferográfica, um pedaço de papel, e o mundo estará comigo.

Paris e amigos

Paris, cidade incontornável, local de tantas paixões e beleza.
Quanto de ti me faz crescer, de cada vez que te visito.
Cidade das luzes e da luminosidade que encanta.

Desta vez, na presença de amigos, partilha de viagem, de expressões de júbilo e de divertimento puro, daquele que surge quando se está deveras em boa companhia.







Clique nas fotografias para as ampliar.