quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Nesta madrugada

Chega a madrugada, encontro-me só.
A luminosidade que me banha o rosto parte do portátil que sobre o meu corpo pouso.
Pelos headphones a sonoridade que chega remata esta jornada em beleza.
Depois de um fim de dia entre amigos maravilhosos, bem dispostos e sinceros nas palavras.
Encontro-me só, mas preenchido de companhia, de uma energia que me acompanha e que não deixa espaço para a solidão.
E a música que agora rejubila: what more can i say.

[música: Good Things, Aloe Blacc]

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Na tua ausência

Florescem os campos na tua ausência.
O céu guarda o brilho dos passeios de mão dada.
As aves recordam ainda as melodias com que encantam os amores, mesmo na ausência destes.
O sol aquece o meu corpo, que estremece numa descarga rápida de energia.
A brisa fresca percorre o interior do ser onde outrora alguma tristeza se alojou.
Esse ar fresco purifica, regenera.
Na tua ausência o mundo continua a girar, por incrível que pareça.
Na tua ausência, o amor de sempre também continua a florir,
Colorindo estes campos que agora vislumbro
E me preparo para percorrer.

Obrigado e Boas Festas

Obrigado a todos aqueles que me são próximos e que enriquecem a minha existência.
Obrigado àqueles que me ouvem, mesmo quando entusiasmado com o tema falo demais.
Obrigado aos que com o seu brilho no olhar me motivam a seguir o exemplo.
Obrigado pelo carinho que me transmitem e pelo apoio que manifestam, mesmo sem palavras.
Obrigado por me deixarem partilhar esta caminhada ao vosso lado.
Obrigado por contribuírem para o meu crescimento como homem.
Obrigado por serem como são, com todas as qualidades e defeitos que me servem de modelo.
Obrigado por me deixarem aprender com as vossas experiências.
Obrigado por me ensinarem a ser uma pessoa cada vez melhor.
Obrigado!

Que esta época festiva seja também um momento de reflexão, para a cada ano que passa acrescentarmos algo de positivo à nossa existência.



Imagem: Nicholas Mono

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Alegria de menino

Correm crianças pela rua. O som das puras gargalhadas chega até mim como a música dos anjos.
Saltas as poças de água e brincam com alguns ramos caídos, imitando espadachins de outros tempos.
As meninas, mais sensíveis, riem da fanfarronice dos meninos. E juntos seguem por este caminho que aqui passa ao lado de casa.
As suas vozes denotam a alegria comum à época, o Natal está à porta. E sendo-se rico ou pobre, há uma energia na atmosfera que inflama os corações, que nos engrandece a alma. Há magia no ar!
Ao fundo da rua as crianças vão-se tornando mais pequenas, contudo as gargalhadas ainda chegam até mim. Desaparecem ao virar da esquina, mas deixaram ficar a sua semente, a alegria sincera, sem motivo. A felicidade de se ser criança, que a todo o custo quero preservar até ao fim dos meus dias, neste corpo adulto que nunca deixou de ser menino.

Shaktí* (XI)

Cabelos de trigo ondulam no ar, libertando um perfume que inebria.
O olhar que nos dirige transmite vida, energia contagiante.
De sorriso branco, aberto e sincero, inflama-nos o coração, alegra-nos a existência.
Bela, toda ela flui com movimentos graciosos, felinos, sensuais.
A alva pele, pura, relembra os deuses do Olimpo.

---
* Shaktí - Energia, força. Esposa ou companheira no sádhana tântrico. Mãe divina.