quinta-feira, 30 de março de 2006

O ladrão do amor (fragmento)


Mesmo agora
se a visse de novo
a essa rapariga de olhos de lótus
e de seios opulentos
esmagá-la-ia entre os meus braços
e beberia da sua boca como um louco
como uma abelha insaciável
sugando uma flor...

Bilhana, Índia, séc. XI d.C.


Se todo o ladrão roubasse amor...

E está aí a Primavera, época de assaltos.