sábado, 21 de maio de 2011

Abraço de mar

É tarde, sigo em direcção a casa,
Mas o rumo tomado é outro.
Não me dirijo ao lar,
Sigo para o mar aqui tão perto.
Na noite,
De frente para este oceano,
Que não enxergo, mas que sinto.
E nos seus braços de escuridão me envolvo,
Me aconchego.

3 comentários:

Lupatinadora disse...

Sei como é esta sensação, e que falta sinto dela...
Tomar o rumo do lar, e parar no mar... o que penso, pra mim, é a mesma coisa.

Muito bom!

Marco Santos disse...

Obrigado Lupatinadora pela visita.

Martinha disse...

:)))