domingo, 16 de setembro de 2007

Recordações olfativas


Hoje ao fim da manhã choveu e a terra seca libertou o seu fantástico odor.
Corri para a varanda, fechei os olhos inalando profundamente e em poucos segundos havia sido transportado à minha infância.
Uma alegria indiscritivel apoderou-se de mim. Sorri abertamente, abri os olhos e com enorme gratidão fiquei a apreciar a chuva torrencial que caia e regava os campos.

(fotografia: Clive Nichols)

9 comentários:

Maria Manuel disse...

Não poderia deixar de partilhar esse momento em que a chuva caiu, quase a pedir licensa para o fazer, de tão silenciosa que foi... Também me veio à memória não um tempo mas um espaço, que associo à terra molhada e à humidade que fica a seguir... Coisa boa... Açores... Beijinhos

A.C. disse...

Excelente "apanhado" de sensibilidade...também sinto recordações de infância com a chuva, amigo!

MalucaResponsavel disse...

tb gst desse cheiro.... :)

Pestinha disse...

Impossível não lembrar esse cheiro.... O melhor do mundo!!! O meu cheiro favorito entre todos os demais!!!
Que saudades de o sentir na varanda da minha mãe quando os campos estão acabadinhos de ser lavrados!!!

Whispers disse...

Olá!
Entrei no teu blog e adorei.
Existe momentos na vida que São únicos.
Parabéns para ti que és capaz de fazer de um simples momento uma recordação doce
beijos em teu coração
Whispers

SILÊNCIO CULPADO disse...

Nada é mais belo que o cheiro da terra, de uma terra onde as plantas crescem e onde a água se evapora sem interferências. São lindas as cerejas e tristes os olhos daqueles que já deixaram de vê-las consumidos pelo mundo do artíficio.

NINHO DE CUCO disse...

Tem piada mas também associo as primeiras chuvas e o cheiro da terra molhada à minha infância. Eu adorava molhar-me e a minha mãe não gostava. E tinha um bibe bordado com cerejas.

7 Pecados Mortais disse...

Não foste transportado à infância. Tu vives uma infância (no Bom sentido).

Sentiste-te feliz, livre como um pássaro, sentiste a Natureza, o Cheiro, as suas lágrimas, o vento e tudo que nos embala e nos deixa feliz, como uma criança sem problemas. Sentiste que estavas a ver o renascer da tua infância, quase como um desejo de ser menino pequenino outra vez. Por momentos esqueceste a Guerra, a Fome, a Ambição. Deixas-te de saber o que isso era e como te deixou feliz. Brincaste ao "Mundo Meu" e como estavas contente...como teu sorriso era enorme, brincavas e pulavas ao sabor do vento, escorria em ti o suor de um sol brilhante. Comias a Fruta das árvores e cansado, embalavas num Sono, ao som de uma Brisa de Paz! Desculpa este "esticar" na poesia. Não resisti. As tuas palavras levaram-me a Sonhar por momentos. Obrigada! Não sei como te sentiste, mas eu por momentos, fui Feliz! Bem Hajas!

Marco Santos disse...

Obrigado 7 Pecados Mortais. Que belo texto. As tuas palavras são uma fonte de motivação. Aparece por cá sempre que o entenderes. Serás muito bem recebido.
Cumprimentos.