quinta-feira, 3 de maio de 2012

Catalisar brilho em olhos apagados.

Abri as portas para ti, deixando-te à vontade para entrar.
Apenas aragem percorreu o espaço,
Arrefecendo o ambiente.
Deixei disponível o meu lar,
A minha morada, o meu retiro.

Ao olhar pelas portadas,
Vejo os montes ao longe,
Tanta possibilidade para lá deles,
Tanta vida a ser vivida,
Sorrisos a despertar.
Catalisar brilho em olhos apagados.

Continua a entrar somente fresco ar.
Espero mais um pouco,
Não vens.

Parto para lá,
Em busca do que aqui não há.
Em busca de talvez me encontrar,
Em mim!

2 comentários:

sonia monteiro disse...

Tens o dom da palavra... E sente-se que elas estão vivas. Obrigada por partilhares cada texto, cada sentimento, cada pensamento

Marco Santos disse...

Obrigado querida Soninha, por seres visita regular neste humilde espaço.
Beijo grande.