segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Quanto de ti encontro em mim?

Quanto de ti encontro em mim?
E quando o vazio encontra espaço...
O eco do silêncio retumba,
Dando o alerta do teu poder.

Sem comentários: