quarta-feira, 1 de julho de 2009

A infância - os passeios

Aqueles que passaram a sua infância na aldeia, certamente, lembrar-se-ão, com saudade, dos passeios efectuados por esse Portugal, organizados pela junta de freguesia ou pela escola.
Recordo com prazer esses momentos. Desde sempre que gostei de viajar, e aqui incluem-se, até, as pequenas deslocações à vila mais próxima, a tempos regulares.
O passeio era antecedido por uma grande ansiedade, causada pela novidade que se avizinhava e pela diversão inerente. A noite era mal dormida, acordando muito cedo, antes do Sol, pois à ideia açulava-se-me as possíveis aventuras do dia seguinte. Toda a criança é ávida pelo que é novo, pelo desconhecido, aprendendo e assimilando com grande facilidade.
Recordo-me de um passeio organizado pela escola quando eu tinha cerca de sete ou oito anos, andaria na terceira classe. A ida foi à Serra da Estrela, e quem me acompanhou foi o avô paterno.
Castro Daire; Viseu; Nelas; Seia; Torre.
Absorvendo cada lugar, cada campo, cada paisagem. Comparando a serrania com a qual eu estava habituado, o Montemuro, notando que a diferença não era muita, exceptuando a dimensão e a altitude.
Pelo caminho, vários enjoos, que custaram ao meu avô uma limpeza à roupa.
À chegada, a neve, que não era nova para mim, não tivesse eu nascido a 1.600 metros de altitude, no sopé Alpes suíços. Contudo, a brancura de tal cenário é irresistível para qualquer petiz, que corre a brincar com ela, tocando-lhe, sentindo-lhe a fresca maciez, para logo de seguida moldar bolas brancas que lança com traquinice divertida ao colega mais próximo, ou mesmo ao professor, que connosco brinca.
Depois vinha a merenda partilhada e as explicações dos professores, sobre o local onde nos encontrávamos.
O regresso era feito por itinerário diferente: Torre; Manteigas; Gouveia; Mangualde; Viseu; Castro Daire.
Ao fim do dia o cansaço tomava conta de nós, adormecendo no colo do adulto que nos acompanhava, sonhando com novas paragens, novas aventuras, novos passeios.

6 comentários:

Sara disse...

eu não tive a sorte de passear com os meus avós. mas guardo com saudade os momentos que antecediam os passeios de escola e da catequese. bico de pato com fiambre - é o que me vem logo à cabeça :)

Rotiv disse...

Olá :)
O Blogue dos Manteigas de visita a este cantinho ;)
Um abraço,
http://bloteigas.blogspot.com/

Letícia Ziebell disse...

Que lindo Marco!
Belissima descrição, obrigada pela partilha.
Beijos

Marco Santos disse...

Olá Letícia, obrigado.
Obrigado a todos os que visitam e lêem este blogue, pois ele é destinado a vocês.
Beijos e abraços.

Indy disse...

Que bom!!!
Apetece-me viajar!

Indy disse...

Que Bom!!!
Apetece-me viajar!