Por ser dia da Criança

Hoje acordei com as crianças, com os seus risos e expressões de contentamento a caminho da escola. Enquanto despertava imaginava o cenário para lá do lusco-fusco do meu quarto, onde meninos de corpo e alma davam asas à sua naturalidade, brincando na cinzenta calçada.
As suas indumentárias de cores vivas reflectiam perfeitamente o seu espírito. Elas são assim, tão diferentes da maioria dos adultos, cinzentos como a calçada por onde as crianças passam coloridas.
Existe uma fase na vida onde a criança que existe em todo o homem deixa de se manifestar, seja por que razão for. Tornando-os em seres sisudos, estressados, carrancudos e impacientes. Envergonhando-se facilmente quando essa criança reprimida se revela.
O amor dos grandes homens está essencialmente na criança que existe dentro deles e que nunca foi ofuscada, nem aprisionada, tendo permissão para se manifestar alegre e profundamente em paralelo com o homem adulto.


Fotografia: Thinkstock Images.

Comentários

Sara disse…
"Existe uma fase na vida onde a criança que existe em todo o homem deixa de se manifestar, seja por que razão for. Tornando-os em seres sisudos, estressados, carrancudos e impacientes. Envergonhando-se facilmente quando essa criança reprimida se revela."

Há crianças que absorvem o mundo dos adultos muito rapidamente, e que anseiam por deixar de ser crianças. E eu sei isso, ser criança nem sempre é fácil. Não que ser adulto o seja, mas compreendo a ansiedade...

Mas também há adultos que descobrem que precisam de dar mais atenção à sua criança interior. E esses eu admiro muito, porque não se fecham num quadradinho cinzento onde tudo é previsível. Abrem as janelas e aceitam a espontaneidade, a alegria, o carinho. É isso que eu gosto nas crianças. O carinho que dão e recebem sem entraves.


Gostei de conhecer este cantinho.

Mensagens populares deste blogue

1 ano

Aroma a feno