quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011


Quando o tardio da hora me impele a dormir, mas os meus olhos abertos me dizem o contrário e a mente num tal rodopio divaga por mil histórias, fazendo do papel e da tinta que nele escrevo os meus confidentes desta noite.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Há homens que são demasiado grandes para o corpo que possuem.
Assim sendo, nas amarras da sua condição, extrapolam para além dos limites na medida do possível.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011


Os amigos são a minha maior riqueza, aos quais a crise não pode deitar mão.
E esta lua cheia, brilhante, que me persegue e não deixa espaço para a escuridão na minha vida.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Aconchego

Olhos brilhantes de vida convidam-me à partilha, ao aconchego da amizade. 
O ambiente gerado é quente e doce, tal como as sensações proporcionadas.
O abraço, a carícia, o sorriso. 
Sem palavras, tudo é expresso no carinho da presença do outro.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Não consigo guardar para mim o que é belo. Só compartilhando é que a beleza tem sentido.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Música


Tanta música boa e tão pouco tempo para escutar tudo, escutar com ouvidos de ouvir. Saboreando cada nota, de olhos fechados, sentado no cadeirão de frente para o gira-discos, com um sorriso no rosto, fluindo na sonoridade intrínseca.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011


A vida é feita de altos e baixos. Feliz daquele que aprende com a descida, para depois subir mais alto.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Lágrimas

Para todos aqueles que choram e que as lágrimas já se tornaram num mar, ouçam!
Ouçam a vida à volta que borbulha, as corres que por ti chamam.
Enxuga essas lágrimas e vem comigo, vamos soltar o sorriso que há em ti.
Não chores mais, a não ser de alegria, por teres encontrado o teu caminho na simplicidade.



M83 | My Tears Are Becoming a Sea

sábado, 5 de novembro de 2011

Manhã de Sol

O prazer de num dia de Outono, após alguns dias de chuva intensa, dias cinzentos que não deixam de ter o seu encanto, chegar a uma Sábado, de manhã, com um céu azul, pincelado com algumas distantes nuvens brancas.

Nessa luminosidade da manhã de Sábado, sair e fazer um passeio, um passeio descomprometido, não programado. Simplesmente sair, vestir um casaco, curtir essa aragem amena, mas agradável, ao mesmo tempo que o Sol banha o rosto.

Um passeio em direção à praia, usufruir desse mar imenso, que aqui ao meu lado está diariamente e que tão poucas vezes visito.

Prazer imenso. Nada mais importa a não ser este momento, que apesar de poder ser curto é longo em sensações, em agradabilidade, em vontade de viver, ao aperceber-me que esta luminosidade brilhante do Sol reflete todo o seu esplendor nestas águas do oceano. 

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Se


Se és capaz de manter tua calma, quando,
todo mundo ao redor já a perdeu e te culpa.
De crer em ti quando estão todos duvidando,
e para esses no entanto achar uma desculpa.

Se és capaz de esperar sem te desesperares,
ou, enganado, não mentir ao mentiroso,
Ou, sendo odiado, sempre ao ódio te esquivares,
e não parecer bom demais, nem pretensioso.

Se és capaz de pensar – sem que a isso só te atires,
de sonhar – sem fazer dos sonhos teus senhores.
Se, encontrando a Desgraça e o Triunfo, conseguires,
tratar da mesma forma a esses dois impostores.

Se és capaz de sofrer a dor de ver mudadas,
em armadilhas as verdades que disseste
E as coisas, por que deste a vida estraçalhadas,
e refazê-las com o bem pouco que te reste.

Se és capaz de arriscar numa única parada,
tudo quanto ganhaste em toda a tua vida.
E perder e, ao perder, sem nunca dizer nada,
resignado, tornar ao ponto de partida.

De forçar coração, nervos, músculos, tudo,
a dar seja o que for que neles ainda existe.
E a persistir assim quando, exausto, contudo,
resta a vontade em ti, que ainda te ordena: Persiste!

Se és capaz de, entre a plebe, não te corromperes,
e, entre Reis, não perder a naturalidade.
E de amigos, quer bons, quer maus, te defenderes,
se a todos podes ser de alguma utilidade.

Se és capaz de dar, segundo por segundo,
ao minuto fatal todo valor e brilho.
Tua é a Terra com tudo o que existe no mundo,
e – o que ainda é muito mais – és um Homem, meu filho!

Rudyard Kipling
Tradução de Guilherme de Almeida

Colhido no Blog do DeRose

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

O Amor

Quanto de ti desconhecemos,
Quanta paixão é confundida com a tua essência.
Quantas lágrimas percorrem rostos em teu nome.

Quando, na verdade, tu  és felicidade, és paz,
És o sorriso na face de uma criança inocente,
Brilho no olhar de um ancião.

Os Homens não te compreendem
E responsabilizam-te pela dor.
És maior,
No patamar em que te encontras
Não há repressão, apenas liberdade.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Perfume Outonal

A brisa que pelo teu cabelo passa envolve-me com perfume outonal. Desperto da letargia da vida rotineira e  sinto-me catapultar para um patamar onde realmente vale a pena viver.
A Lua cheia ilumina os seus olhos na escura noite.
Deambulando entre sombras inertes, solta um uivo que clama.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Quanto de ti encontro em mim?

Quanto de ti encontro em mim?
E quando o vazio encontra espaço...
O eco do silêncio retumba,
Dando o alerta do teu poder.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Para ti...

Para ti sou uma porta aberta.
Para ti que vens por bem.
Para ti que partilhas e nada esperas em troca.
Para ti que buscas amizade.
Bateste na porta certa, é só entrar.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Irmã

Irmã,
Aquela que está sempre no coração,
Independentemente das distâncias.

Alma gémea, de olhar brilhante.
Amor fraterno expandido ao infinito.

Parabéns neste teu dia.


Shaktí* (XIII)

Os seus rasgados olhos de criança têm uma doce expressão, contudo deles irradia um fogo imenso, um selvático calor, um misto de pureza com expansão energética, característica de quem tem a criação no sangue. A nativa ancestralidade está presente em si.

A coreografia da vida passa-lhe pelos dedos e na sua inocente expressão revela a experiência de anos de trabalho e dedicação à arte.

Há em si um mundo de possibilidades e o seu coração não conhece limites.

Haja quem consiga acompanhar o seu sonho e o mundo será diferente, será uma dança constante onde a beleza reina e o povo rejubila.

---
* Shaktí - Energia, força. Esposa ou companheira no sádhana tântrico. Mãe divina.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Ser Feliz, por Fernando Pessoa

PALCO DA VIDA

Você pode ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não se esqueça de que sua vida é a maior empresa do mundo. E você pode evitar que ela vá à falência.

Há muitas pessoas que precisam, admiram e torcem por você. Gostaria que você sempre se lembrasse de que ser feliz não é ter um céu sem tempestade, caminhos sem acidentes, trabalhos sem fadigas, relacionamentos sem desilusões.

Ser feliz é encontrar força no perdão, esperança nas batalhas, segurança no palco do medo, amor nos desencontros.

Ser feliz não é apenas valorizar o sorriso, mas refletir sobre a tristeza. Não é apenas comemorar o sucesso, mas aprender lições nos fracassos. Não é apenas ter júbilo nos aplausos, mas encontrar alegria no anonimato.

Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.

Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.

Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um “não”. É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.

Ser feliz é deixar viver a criança livre, alegre e simples, que mora dentro de cada um de nós. É ter maturidade para falar “eu errei”. É ter ousadia para dizer “me perdoe”. É ter sensibilidade para expressar “eu preciso de você”. É ter capacidade de dizer “eu te amo”. É ter humildade da receptividade.

Desejo que a vida se torne um canteiro de oportunidades para você ser feliz… E, quando você errar o caminho, recomece, pois assim você descobrirá que ser feliz não é ter uma vida perfeita, mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância.

Usar as perdas para refinar a paciência.
Usar as falhas para lapidar o prazer.
Usar os obstáculos para abrir as janelas da inteligência.

Jamais desista de si mesmo.
Jamais desista das pessoas que você ama.
Jamais desista de ser feliz, pois a vida é um espetáculo imperdível, ainda que se apresentem dezenas de fatores a demonstrarem o contrário.

Pedras no caminho? Guardo todas… Um dia vou construir um castelo!

Fernando Pessoa

Que te diz o coração?

O teu coração fala contigo?
O que te diz?
O meu impele-me a viver intensamente!
A correr sempre que essa for a vontade,
Sentindo a brisa no rosto.
A sorrir sempre que a alegria, sem razão aparente, me surge na alma.
Um sorriso contagiante, profundo,
Advindo das raízes do ser.
Se semeias sorrisos à tua volta, colherás confiança,
Mas não te esqueças de sorrir essencialmente com os olhos.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Deambulo pelo teu mar

Deambulo pelo teu mar
Semelhante a um bote à deriva.
As tuas ondas atormentam o meu navegar.
Contudo, não serei naufrago,
Possuo a arte de velejar nessas águas.
Quando o que em ti mora não flui pela estrada da vida e se detém nas paragens do encanto, aproveita.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Por vezes falta-te a energia porque não aplicas de forma mais correta a que possuis.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

O teu potencial

Acreditas nas tuas potencialidades?!
Então não tens como não vencer. Basta estares receptivo e aproveitar a oportunidade, nunca te esquecendo que ela, como diz George Clason, "é uma deusa altiva que não perde tempo com que não está preparado"

domingo, 17 de julho de 2011

sábado, 16 de julho de 2011

A vida é breve, e quando nos apercebemos de tal não há como não reagir e fazer aquilo de que gostamos, estar com quem queremos, rir muito na companhia dos bons amigos e ser feliz. Ainda que o mundo à nossa volta nos tente impedir de seguir esse caminho, o brilho dos teus olhos deve ser de tal forma ofuscante que tu é que mudas o meio e só permites que este te mude a ti se for favorável aos teus intentos.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Os seus braços ondulam por mim, o toque doce quase irreal obriga ao cerrar das pálpebras para que o sentido apurado do tacto sinta a leveza pura desse momento.

terça-feira, 12 de julho de 2011

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Quero felicidade à minha volta, não é pedir muito, tendo em conta que a essência da felicidade está no sorriso de quem nos é próximo.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Shaktí* (XII)

Quanta sensibilidade colocas num simples passo,
Quanta leveza expressas no teu sereno rosto,
E os teus braços que com movimentos doces
Inebriam a plateia.

Quanta candura na tua forma de expressão,
O mel das tuas palavras alimenta-nos.
O teu leve corpo como que flutua.
Numa palavra, graciosidade.

Os teus olhos completam-te
E o teu sorriso é mais misterioso
E intrigante do que o por Da Vinci revelado.

---
* Shaktí - Energia, força. Esposa ou companheira no sádhana tântrico. Mãe divina.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Nós somos mais do que nós próprios. Somos a soma da ancestralidade conjugada num corpo físico, por vezes, demasiado pequeno para exprimir a grandiosidade da nossa essência.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Lua


Véus que à tua frente passam,
Corpo branco desvendado na noite.
Encanto puro, petrificante beleza,
Ao singelo olhar do ser emocional,
Que perante tal assombro de candura
Se alimenta e cresce em sensibilidade.

Fotografia: stock.xchng

domingo, 12 de junho de 2011

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Quanto mundo guardas para ti?

Quanto da tua beleza nos mostras?
Quanto mundo guardas para ti?
A quem abres as portas da tua sensibilidade pura?
Que privilégio dás àquele que vê o teu âmago,
E engrandece somente pelo vislumbre da beleza primeira,
Do revelar da candura do teu ser,
Que os restantes mortais podem vislumbrar,
apenas,
no reflexo do teu olhar.

Escrito e inspirado ao som de Childhood, de Alexandre Desplat, da Banda Sonora Original do Filme a Árvore da Vida.
A felicidade passa também pela relação entre a energia que absorves, seja de que forma ou fonte for, e a maneira como a despendes.
Energia em excesso e mal canalizada traz infelicidade, assim como a falta dela.

sábado, 4 de junho de 2011

Dar

Essa energia que emanas pelos poros da tua pele, essa candura, sensibilidade, e o sorriso corporal que te faz ser o mais puro dos seres, quando expressas o amor incondicional, quando dás sem sequer cogitares em receber. Dar por amor, profundo, desinteressado, belo.
E uma sensação de leveza que te eleva, fazendo-te sentir parte integrante do todo que te envolve.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

E se...

E se te deixasses ser quem realmente és?
O que farias?
Continuarias o teu caminho como até agora?
Ou correrias em direcção à linha do horizonte para abraçar o Sol?
Quantas vezes fiquei acordado a ver a beleza do teu dormir.

terça-feira, 31 de maio de 2011

Flutua

Flutua,
Como se de uma pena possuísses a leveza.
Sente a brisa que te transporta por esse azul celeste.
Inspira, inunda o teu interior de vitalidade.
Sê o mesmo que à tua volta se encontra.
Sê a vida que pulsa em todas as coisas.

Age.
Liberta-te dos condicionamentos
Que te prendem a vivências estéreis.
Irradia o que de melhor te caracteriza
E que guardas no teu íntimo,
Com o intuito da expansão desejada,
Mas que temes nunca revelar.
Por medo, vergonha, inércia.

domingo, 29 de maio de 2011

Ancestralidade em ti


A tua grandiosidade conforta-me,
Os teus braços acolhem as minhas preocupações,
O verde das tuas folhas colora a esperança.
Mesmo na escuridão da noite o teu abraço é luminoso,
A tua sabedoria ancestral conselheira.

Acenas-me ao sabor da brisa quente.
Sorrio e inspiro a tua volátil seiva,
trazida pelo perfume que libertas.

A tua elegância é o exemplo
Da perfeição de anos de evolução
e sabedoria adquirida nas tuas nervuras.


Fotografia do autor.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Partículas gémeas


Há no universo partículas gémeas,
que desde o princípio dos tempos
circulam pela imensidão do espaço.
A tempos regulares encontram-se
e a harmonia acontece,
a vida cumpre o seu propósito.

Círculo de energia

É noite, um grupo de jovens junta-se à beira-mar,
Chegam em silêncio,
Sorriem discretamente e cada um toma o se lugar,
Sentando-se em círculo,
Como que combinados previamente.
Fazem algumas respirações profundas
E olham as estrelas do céu,
Enquanto ouvem o som do mar bater nas areias.
A cada inspiração captam a energia universal,
transportada pela maresia que os envolve.
Percutindo as mãos vocalizam sonoridades ancestrais.
Alguns, de olhos fechados sorriem abertamente,
como que se algo maior os elevasse.
Dão as mãos formando uma corrente de energia
E mentalizam o sucesso de cada um,
a alegria que os une, a força que os move
A sensibilidade que os caracteriza,
A amizade que os faz ser quem são.
Por fim, de olhos abertos e luminosos
Abraçam os seres que os ladeiam.
Um abraço apertado, que vai para além do físico.
Sussurram algumas palavra de carinho.
A brisa da noite continua a envolvê-los
Convida-os a um mergulho.
Levanto-me trazendo um punhado de areia fresca,
partículas desde universo do qual faço parte.
Ao dirigir-me para os braços do mar,
vou sentido os grãos que agora deixo cair por entre os dedos.
E agradeço a vida, congratulo a partilha do amor.

Escrito ao som de Bon Iver, e também pode ser lido com essa especial envolvência.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Imensidão


No mundo dos sonhos
A imensidão invade o meu lar.
O contraste das cores e formas
Moldam o cenário imaginário.
O granulado do toque
Massaja as paredes do meu ser.
As portas não mais se fecham,
Para sempre te deixar entrar.

Fotogarfia de Marsel von Oosten, Squiver -National Geographic

Brinde da amizade

Amigo,

flui por ti a vida.
Essa luminosidade que te banha a pela
Desponta o sorriso na tua face.
O brilho dos teus olhos
São o complemento à tua fisionomia.

A tua energia é confortável.
A tua presença um prazer.
O teu abraço sincero.

A vida sorri,
Àqueles que podem contar
com o brinde da amizade.

sábado, 21 de maio de 2011

Abraço de mar

É tarde, sigo em direcção a casa,
Mas o rumo tomado é outro.
Não me dirijo ao lar,
Sigo para o mar aqui tão perto.
Na noite,
De frente para este oceano,
Que não enxergo, mas que sinto.
E nos seus braços de escuridão me envolvo,
Me aconchego.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Alegria que brota

E aquela alegria que brota do mais profundo do teu ser, sem motivo aparente, mas que te faz sorrir de forma tão expressiva que só por esse facto nascem sorrisos à tua volta, contagiados por essa magnificência.
E que de coração nas mãos e brilho no olhar te entregas à vida construindo mundos de sorrisos, pelo simples facto de hoje o sol continuar a brilhar e tu cá estares para receber a sua luminosidade.

terça-feira, 17 de maio de 2011

terça-feira, 3 de maio de 2011

Discorrer da pena

A escrita como companhia pode desempenhar um papel importante na vida do ser humano. Através dela chega-se a todo o lado e os sonhos mais incríveis são realizáveis ao discorrer da pena. Dando-se asas à imaginação os cenários surgem e do negro da tinta as cores tomam forma.

A possibilidade da expansão sem limites, do transbordar do que vai na alma do escritor para a folha em branco, conferindo-lhe vida, forma, e fazendo desse momento um acto de partilha.

Solidão?! Dê-me uma esferográfica, um pedaço de papel, e o mundo estará comigo.

Paris e amigos

Paris, cidade incontornável, local de tantas paixões e beleza.
Quanto de ti me faz crescer, de cada vez que te visito.
Cidade das luzes e da luminosidade que encanta.

Desta vez, na presença de amigos, partilha de viagem, de expressões de júbilo e de divertimento puro, daquele que surge quando se está deveras em boa companhia.







Clique nas fotografias para as ampliar.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Countdown - Espectáculo Soberbo

 Silêncio, tudo à minha volta se torna harmonia, parte do público ainda bate palmas efusivamente. Os artistas já saíram do palco. A magia continua no ar, sou transportado no tempo e no espaço, deixo de ser eu para me integrar na essência do Universo. A arte a que acabo de assistir catapulta-me para um local poucas vezes frequentado, a sensibilidade magnificente após os nossos sentidos terem captado algo que ultrapassa a performance física e sonora, algo mais veio acoplado aos movimentos coreográficos, aos olhares intensos, à expressão apaixonante, à execução musical. Uma massa compacta de sensações envolveram o espaço, num misto de beleza, sensibilidade e algo arrebatadoramente visceral.
As lágrimas deslizam nos canais oculares, mas não se libertam, impeço que saiam, para não correr o risco de perder um braço dançante que coreograficamente saúda a assistência, um sorriso sincero que brinda a plateia, um apaixonante fluir que transforma artistas e público num só, unidos por uma cultura milenar sólida e repleta de sabedoria ancestral.

A vida tem destas coisas, de repente sinto-me pequeno, agradavelmente pequeno, ao ver a grandiosidade de artistas de tal calibre. E como se não bastasse o facto de poder assistir a tão elevada demonstração de bháva, de sankalpa, ainda tenho a honra de ser amigo pessoal destes seres brilhantes que ampliam a minha existência, de tal forma que não encontro palavras adequadas para o transmitir, a não ser pelo abraço apertado que darei a cada um na primeira oportunidade.

Obrigado.
Agora sim posso soltar uma lágrima!


[Dia 25 de Junho, no Grande Auditório do Rivoli, assista ao espectáculo na integra.]

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Vida

Nas asas do teu amparo sinto-me voar em direcção ao misterioso desconhecido, onde o somatório das minhas vivências não são mais do que um suspiro e a experiência se esfuma na ânsia do que está para vir.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

XXXV

Trinta e cinco anos de vida.
Trinta e cinco anos de sorrisos.
Trinta e cinco anos com vontade de abraçar o mundo.
Trinta e cinco anos a amar intensamente o que é belo...
... desde a simples flor que me surpreende na beira da estrada, até ao sorriso que me arrebata.
Trinta e cinco anos de brincadeiras.
Trinta e cinco anos de traquina, oculto na postura polida.
Trinta e cinco anos a sentir a pele arrepiar quando me emociono com a pureza.
Trinta e cinco anos de aprendizagens, num misto de sofrimento e concretização.
Trinta e cinco anos onde a dor, ...
... a solidão, a distância, o apego, a inveja, o ciúme, a raiva, o desprezo, a falta de atenção, também fizeram parte, mas em pequena escala, contudo, a suficiente para me fazer ver que o caminho era outro.
Trinta e cinco anos a abrir os olhos com a experiência, a assimilar para não cometer os mesmos erros.
Trinta e cinco anos volvidos, sinto-me criança, jovem e adulto, num misto equilibrado.
Trinta e cinco anos de magia que é a vida, onde o segredo não está em ganhar sempre, mas saber perder como exercício para a vitória mais frequente.

E só agora começou!

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Toque

Se todos os Homens tivessem a noção do poder do toque viveríamos numa sociedade mais atenta, que graças à sensorialidade se tornaria melhor, mais sensível ao outro, mais amiga.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

"Existem três coisas que os homens podem fazer com as mulheres: amá-las, sofrer por elas, ou torná-las literatura."
(Stephen Stills)

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Calor

Feixes de luz quente incidem sobre o meu corpo.
Uma reacção imediata, de prazer, capta essa energia vital.
Iniciando-se num breve arrepio da pele,
o calor,
entra por cada um dos poros, deslizando de forma suave,
envolvendo as células onde incide, e estas,
transmitindo a informação térmica às restante,
transportam a onda vibrante ao mais intimo de mim.

quinta-feira, 31 de março de 2011

Hora de comemorar

Hoje faço 3 anos de Instrutor do Método DeRose e amanhã fazem 6 desde que me inscrevi no Método DeRose Campo Alegre.

O meu bom amigo Faísca

Sempre quis ter uma animal de estimação, ou melhor, uma amigo de quatro patas. Por vontade minha, e da maioria das crianças, teria tido um amiguinho desses desde tenra idade. O mais próximo que tive foi o Fadista, cão do meu avô, que eu adorava, quando ainda vivia na aldeia, em plena Serra do Montemuro.
Os meus pais sempre foram maravilhosos, mas no que a animais diz respeito nunca quiseram ter um em casa.
Agora que vivo no meu próprio espaço, há quase uma década, apercebi-me que também nunca me disponibilizei para arranjar uma companhia peluda, um anjo peludo, como lhes chama o educador DeRose. Várias desculpas, falta de tempo, responsabilidade necessária, encargo financeiro, onde o deixar quando viajo, etc.
A sorte, no entanto, bafejou-me com a companhia de um ser amoroso, felpudo, pequenino e um misto de ternura e traquinice, sem que tenha a responsabilidade de me preocupar com a sua alimentação, com a caixinha das suas necessidades, com as necessidades básicas, pois é o gato do meu vizinho, o Faísca, que todos os dias salta para a minha varanda e que mia até eu lhe abrir a porta. Só descansa depois de eu brincar com ele alguns minutos, caso contrário anda atrás de mim e salta-me para os pés, fazendo-me tropeçar.
Gosta de mim sem interesse, visitava-me somente para a brincadeira.
Passaria as manhãs a brincar com ele, mas como o tempo não o permite, há alturas em que não o posso deixar entrar em casa e ele fica a "chorar" do outro lado da janela a clamar. Parte o coração.
Neste momento, que escrevo estas linhas, ele está aqui ao meu lado - ver foto abaixo - pronto para a rebaldaria.
Partilho também um vídeo feito hoje. A alegria depois do seu amigo humano ter estado alguns dias sem o deixar entrar em casa.

Os animais são nossos amigos, vamos ser amigos deles também.



Música do vídeo: We're Going to Be Friends, do álbum White Blood Cells, dos The White Stripes.

quarta-feira, 30 de março de 2011

Metronomy - The Look

Há músicas que nos tocam desde a primeira vez que as ouvimos.
The Look, dos Metronomy, foi uma delas.

domingo, 27 de março de 2011

O tempo

O correr da vida passa por nós descontroladamente rápido.
Cabe a cada um usufruir do dia-a-dia e abrandar o ritmo alucinante do século XXI.
Não me refiro a ser menos produtivo, antes pelo contrário, enquanto desenvolvemos uma consciência mais ampla para não deixar que por entre os dedos nos passem experiências que nos podem engrandecer como Homens que somos, catapultando-nos para um nível superior. E com o saber agregado ter a capacidade de contribuir, efectivamente, para a qualidade de vida daqueles que nos rodeiam.

Pormenores









Clique nas fotografias para as ampliar.

segunda-feira, 21 de março de 2011

Primavera de sorrisos

Hoje começa a Primavera, com ela chega o Sol e muitos sorrisos.

Pessoalmente, não coloco esta estação acima das restantes, todas elas têm as suas particularidades, tal como os seres humanos. Todas elas me brindam de forma diferente, mas a Primavera, como exerce um enorme impacto nos que me rodeiam, acaba por trazer um sabor especial. Quem não gosta de ver sorrisos à sua volta, alegria pelo simples brindar da mãe Natureza?

Por esta razão regozijo a chegada das andorinhas, das flores que desabrocham, dos aromas, e do calor que se começa a fazer sentir.

E se a este despertar, a este renascimento com que a Natureza nos presenteia todos os anos, juntarmos a banda sonora ideal, então, ao ouvir essas notas, podemos fechar os olhos, inalar profundamente e sentir realmente a energia, assimilar e canalizá-la para a felicidade de todos os que nos são próximos do coração, quer estejam fisicamente próximos ou não, mas sempre presentes no nosso pensamento.

Um bom som para a receber:

sábado, 5 de março de 2011

Sou feliz, essencialmente, porque tenho amigos e uma família que amo, contudo é necessário saber viver na solidão, ela também nos ensina.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Afunilamento de um futuro imprevisível

Depara-se à minha frente uma estrada a perder de vista. Afunilamento de um futuro imprevisível.
Olho para trás e a via estende-se também longamente, contudo num cenário familiar.
A adrenalina estimulada pelo desconhecido, um sentimento dicotómico de medo e prazer em simultâneo.
De um lado, pessoas amigas, com um sorriso pronto e uma mão sempre disposta a apoiar. Do outro, o negativismo de tantos, a lamentação, a descrença que nos influência e que diariamente nos obriga a ser mais fortes, a lutar por aquilo em que acreditamos.
Nesta caminhada de altos e baixos vejo a via desobstruída, haja vontade de seguir caminho, hajam forças para contornar eventuais obstáculos, que nos fazem desviar do rumo, mas que se revelam, quase sempre, lições de vida.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Ser maior

O segredo da felicidade é que ela dependa somente de nós. 
É não deixar as amarras da ausência e da indiferença limitar-nos a essência.
É ser maior do que o vazio que nos espera quando julgaríamos encontrar um sorriso.
A felicidade é olhar o céu azul e uma flor brotar em pleno coração, sentir a Primavera sempre no íntimo.
É olhar em volta e inspirar profundo a brisa marítima, falar a mesma língua das cores, dos contrastes, do sol e da chuva, ouvindo e vendo particularidades que para a maioria não estão lá.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Olhar profundo

Lembro-me do teu olhar junto do meu, como se dois oceanos se contemplassem.
A profundidade das suas águas, a amplitude do teu ser.
Quantos mistérios submersos partilhamos, quantos ficaram por partilhar.
Fazem-me falta essas águas, onde o banho purificador me aproximava de mim.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Sol nascente

Nasce o Sol atrás daquele morro e o brilho dos seus raios, filtrados pelo orvalho da manhã, chegam a mim puros de energia. Os tons alaranjados cobrem-me o rosto num doce arrepio, absorvendo a essência do universo. Permaneço imóvel sentindo a luminosidade que toca o meu corpo, e com uma inspiração profunda, cutânea, renovo-me de animo ao mesmo tempo que elevo os braços para abraçar o momento.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Brilha

Porque ocultas a tua luminosidade, se há tanta gente a viver na escuridão?
Sê farol, sê luz, sê um exemplo, não ocultes o teu sorriso, pois com ele tens a capacidade de mudar o mundo.

Às Shaktís

A energia que de ti emana é mais do que plutónio.
O nuclear não passa de um espasmo energético quando comparado com o teu poder.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Mater

Mãe de todos os seres.
Grande na atitude.
Olhos ternos, mas inflamados de poder.
Regaço acolhedor e sempre dado à hospitalidade.
Fonte de energia.
Elo de ligação à Natureza profunda do Ser Humano.
Presença reconfortante.

A todas as mulheres, mães ou não, obrigado!
Há-de chegar a altura em que o vosso poder será verdadeiramente reconhecido e contemplado.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Essência

A essência de mim dilui-se, deixo de ser individual para pertencer ao todo, para me expandir, expandir a minha consciência, os meus sentidos fazerem parte dos sentidos do universo, ser só um, ser pleno, ser inteiro, viver dessa forma integral.